Sensibilidade Alimentar Oculta

 

Baixe aqui o Questionário para Identificar Sensibilidade Alimentar

 

Imagem alergia alimentar

“O médico do futuro não prescreverá medicamentos, mas motivará o paciente para o consumo de dieta apropriada, o cuidado do corpo humano e o conhecimento da causa e prevenção da doença”
Thomas Edison

 

Causa mais comum dos problemas de saúde

Apresentamos neste post uma das causas mais comuns dos problemas de saúde, infelizmente ignorada pelas pessoas: a sensibilidade alimentar oculta.

Muitos podem ser os sinais vivenciados por aqueles que vivenciam esse problema.

 

Sinais de sensibilidade alimentar oculta

Entre os problemas mais comuns, de quem tem sensibilidade alimentar oculta, podem ser divididos em dois grupos:

1. Gastrointestinais

  • Dificuldade para engolir e pigarro.
  • Refluxo ácido, gases e inchaço.
  • Diarreia ou constipação.
  • Inflamação ou irritabilidade intestinal.
  • Excesso de peso.

2. Outra partes do corpo

  • Enxaqueca, mal estar e dores frequentes (cabeça, articulações entre outras), além de sinusite crônica.
  • Fadiga, baixo nível de energia e de capacidade de concentração.
  • Ansiedade e / ou depressão.
  • Problemas de pele e do trato respiratório.
  • Intensificação dos sintomas da TPM ou da menopausa.

 

“Na condição de médico aposentado, posso dizer honestamente que a menos que você tenha um sério acidente, sua melhor chance de alcançar a condição de idoso saudável é evitar médicos,  hospitais, aprender sobre nutrição, ervas médicas e outras formas de medicina natural, ou ter a sorte de conhecer algum naturopata. Todas as drogas são tóxicas e produzidas apenas para tratar sintomas e não para curar”
Dr. Alan Greenberg

 

Questionário

 

Questionário e experimento para identificar a causa

Neste post disponibilizamos:

  1. Questionário para ajudar a pessoa interessada a identificar se tem sensibilidade alimentar oculta.
  2. Experimento a ser realizado em dois meses para ajudar a identificar a causa da sensibilidade alimentar.

 

Baixe aqui o Questionário para Identificar Sensibilidade Alimentar

 

Problema comum na sociedade

Problemas de sensibilidades alimentares, sejam alergias ou intolerâncias alimentares, são cada vez mais comuns em nossa sociedade.

 

Alergia vs intolerância alimentar

Nesta abordagem introdutória, estamos tratando sensibilidade, alergia e intolerância alimentar como similares.

Entretanto, dependendo do caso pode haver diferenciação.

Alergia alimentar é uma reação imune imediata, podendo resultar em aperto na garganta, urticária, e até mesmo anafilaxia. Mesmo uma quantidade muito pequena pode provocar forte reação.

A intolerância alimentar é geralmente uma reação retardada que pode causar problemas intestinais ou outros sintomas.

Na verdade, existe um aumento de casos e condições derivados da crescente industrialização do alimento que comemos.

Nesse sentido, trata-se de uma nova área de conhecimento, na qual muita pesquisa vem sendo conduzida tanto sobre o sistema imunológico quantos outros mecanismos biológicos.

 prevalencia alergia alimentar

 

Mecanismo da sensibilidade alimentar através do intestino permeável

Em geral, as pessoas não percebem a relação de seus problemas de saúde com a alimentação.

Um problema alimentar costuma ser percebido na dificuldade de digestão, presença de gases ou inchaços, ou mesmo processos de diarreia ou constipação.

Alguns problemas de saúde podem resultar da absorção de elementos impróprios, entretanto sem deixar vestígios no sistema digestório.

Um exemplo comum é o glúten que mantém uma molécula grande que não é devidamente quebrada na digestão.

Assim, consegue perfurar o bloqueio das frágeis vilosidades intestinais (intestino permeável).

Assim, entra na circulação sanguínea e gera sérios problemas de saúde.

Por exemplo, o problema conhecido como sensibilidade ao glúten não celíaca (non-celiac gluten sensitivity).

O glúten é um dos causadores de sensibilidades mais comuns.

Também existem outros, como, por exemplo, a lactose (açúcar do leite) ou caseína (proteína do leite), que podem criar sérios problemas em outras partes do corpo.

 

“Manter o corpo com boa saúde é um dever… De outro modo não temos condições de manter a mente clara e forte”
Buddha

 

Autoavaliação da sensibilidade alimentar oculta

A fim de identificar se você tem alguma sensibilidade alimentar oculta baixe o questionário.

Responda e some os resultados das 12 questões.

Caso o resultado final seja 10 ou superior, existe forte possibilidade de você haver alguma sensibilidade alimentar oculta.

 

Baixe aqui o Questionário para Identificar Sensibilidade Alimentar

 

Como descobrir quais alimentos fazem mal

O conhecimento sobre sensibilidade alimentar, incluindo intolerâncias e alergias é relativamente novo.

Existe muita informação desencontrada entre os especialistas.

Antes de qualquer coisa, o ideal é você buscar descobrir seus problemas alimentares por você mesmo.

Em um segundo momento, se necessário, existem exames disponíveis, desde os elaborados pelo laboratoriais convencionais, mais restritos, até outros mais específicos e modernos e com maior alcance (alguns com custos bem elevados).

Mas como descobrir os alimentos causadores das sensibilidades alimentares?

 

 Alimentos proibidos

 

Experimento para identificar a causa

O foco deste experimento é descobrir os alimentos que causam problemas de saúde.

Aqui apresentamos um experimento simples e eficiente, a ser realizado pela pessoa interessada em descobrir a causa de alguma sensibilidade alimentar oculta.

O experimento deve ser realizado em oito semanas ou quatro partes.

A fim de permitir o teste individual dos diferentes grupos de alimentos mais comuns causadores de sensibilidades deve ser dividido em 4 ou 5 semanas.

Muitas pessoas removem os possíveis alimentos indiscriminadamente e sem um método claro e específico. Podem até observar certa melhora, mas não são capazes de identificar a causa.

Por esse motivo, podem passar por deficiências nutricionais em virtude de haver eliminado elevado número de alimentos.

Por exemplo, o trigo é rico em fibras, magnésio e zinco. Logo sua eliminação deve considerar a reposição desses elementos.

Toda alteração no sistema alimentar individual deve ser levado a cabo de modo gradual, a fim de não provocar efeitos indesejados.

 

Grupos alimentares:

1. Trigo.

2. Laticínios.

3. Milho.

4. Amendoim e assemelhados.

 

Leitura de rótulos

A fim de evitar retorno nos problemas, independente da opção selecionada para combater as sensibilidades alimentares, é indispensável a leitura dos rótulos dos alimentos consumidos, bem como em restaurantes, questionar sobre os ingredientes utilizados.

 

Aplicação do experimento

 

Etapa 1

Na primeira parte (primeira e segunda semanas), retirar o trigo, mesmo o integral (não apenas o glúten). Deve-se retirar pão e massas.

Verifique os rótulos dos produtos consumidos. Chocolates, bolachas e cervejas costumam conter glúten.

Ao final das duas primeiras semanas, caso tenha havido melhora na presença dos sintomas sugere-se iniciar a segunda semana sem trigo.

 

Etapa 2

Na segunda parte (terceira e quarta semanas), remover completamente da alimentação todo e qualquer laticínio. Deve-se retirar leite, queijo, soro de leite, além de alimentos que contêm esses ingredientes.

Observar os efeitos em relação aos sinais de sensibilidade alimentar oculta.

 

Etapa 3

Na terceira parte (quinta e sexta semanas) é a vez de eliminar o milho, frequente em molhos, condimentos e doces.

 

Etapa 4

Por fim, na quarta parte (sétima e oitava semanas), não ingerir amendoim ou assemelhados, tais como castanhas de caju ou do Pará, nozes, entre outros.

 

Etapa 5 (opcional)

Grupo extra a ser verificado. Conforme a pessoa se sentir ao final das quatro etapas, ou caso não sejam obtidos resultados positivos de identificação das causas dos sintomas, um outro teste válido seria avaliar problemas com ovos. Fica a dica!

Por fim, deve ser possível identificar qual grupo de alimentos exerceu maior influência nos sinais e sintomas individuais.

 

Avaliação

Em alguns casos, pode ser necessário mais tempo para notar diferenças em seus sintomas. Quanto mais tempo se aplica na evitação dos alimentos, melhores os resultados.

Ao identificar os alimentos causadores dos sintomas remova-os de sua alimentação.

Em alguns casos a sensibilidade pode ser definitiva, ou seja, a pessoa terá problemas de saúde permanentes na presença daquele alimento.

Em outros casos, depois de alguns meses sem o consumo, e com o fim da inflamação, o alimento pode ser reintroduzido na dieta da pessoa em questão.

O interessado pode eventualmente testar alguns dos alimentos causadores de problemas a fim de verificar se houve superação do problema.

 

 Comida real ou processada

 

Alimento vs produto processado

É importante considerar que os alimentos processados pela indústria alimentícia, em geral, podem conter grande número de componentes e, entre eles, haver elementos criadores de problemas de saúde.

Para quem tem problema de sensibilidade alimentar, mesmo uma pequena quantidade pode gerar sintomas.

Assim, sempre que possível deve-se reduzir ao máximo o consumo de alimentos processados preferindo consumir alimentos in natura ou a chamada comida de verdade.

 

 

“A verdade prevalecerá quando existirem dores para trazê-la à luz” 

George Washington

 Síntese

Considerações Finais

Esperamos que o conteúdo tenha sido útil.

Fica o convite para a assinar o blog a fim de receber suas atualizações.

Por favor, deixe seus comentários, com dúvidas e / ou sugestões.

Nossos sinceros votos de saúde, com maior autonomia, a fim de alcançar a tão sonhada vida plena.

 

Antonio Pitaguari