Nutrição  não  é  apenas  comida,  mas
o  que  se  vê,  ouve,  lê,  além  de  que
ou  com  quem  se  convive.  Enfim,  toda
absorção  do  corpo  e  da  consciência.

 

Como, logo existo!

Comer é incorporar e fazer parte do mundo à nossa volta.

Avaliar a cadeia alimentar é essencial para entender o que significa ser humano, uma vez que a energia da comida estabelece e mantém a contínua integração entre corpo e consciência.

… é só parar de comer para verificar como a conexão se enfraquece.

Responsabilidade

A fim de melhorar essa integração e nossa autoconsciência é preciso aprender a diferenciar o ato de comer automaticamente, como simples necessidade, do que significa se alimentar com lucidez e responsabilidade conforme o que realmente pode trazer saúde e bem-estar.

Por exemplo, a preocupação alimentar durante as festas de fim de ano.

Mesmo que seu plano alimentar tenha pleno sentido biológico, uma abordagem teórica, fria, em preto e branco, ignora algo que é essencial para os seres humanos modernos, ou seja, a saúde cultural.

Comer uma dieta saudável nesse período é obviamente o ideal, mas o que constitui comida verdadeiramente saudável nem sempre é claro … especialmente durante o período de festas.

Em confraternizações, familiares e amigos muitas vezes servem pratos que têm profundo significado para eles, o que torna difícil, senão impossível, seguir com rigidez regras alimentares muito rígidas.

Na verdade, as vezes pode ser até pior recusar algum alimento que aproxima as pessoas.

Ortorexia

Ortorexia, a mentalidade excessiva de comer saudável, invariavelmente cria problemas.

Quando se extrapola o plano alimentar, uma vez que perdeu o controle aquele dia, a pessoa chuta o balde e o resto do dia vira um caos.

Assim, acorda no dia seguinte em coma de carboidratos, fome de glicose e, pronto, tende a perder tudo que alcançou e precisa começar tudo de novo.

Aí está o real problema.

Embora o atual estado de coisas da alimentação industrializada em nossa sociedade, não foi exatamente o que se comeu no período de festas que fez a diferença na saúde geral, mas a expectativa e o modo de comer, nesse período de escolhas prejudiciais, que resultaram em diminuição da atenção, saúde e autoestima…

Dimensões da alimentação saudável

A solução é simples.

Precisamos entender que os seres humanos, ao contrário de todos os outros animais neste planeta, tratam os alimentos de modo diferente. Consideremos as duas dimensões alimentares:

  1. Biologia: processamos nosso alimento antes de colocar em nossas bocas para tornar a comida segura, densa em nutrientes e biodisponível.
  2. Cultura: compartilhar e nos reunir em torno do que comemos constitui parte essencial da cultura humana quando confraternizamos e interagimos com prazer e satisfação.

Maximizar o primeiro ponto é o modo de atingir a saúde biológica ideal.

Maximizar o segundo é como podemos alcançar a saúde cultural ideal.

Se a visão de dieta saudável inclui os contextos biológico e cultural de uma alimentação saudável, pequenas extrapolações alimentares não devem ser consideradas como trapaça, mas, com foco no contexto maior, como parte de uma refeição saudável, parte essencial da conexão harmoniosa entre amigos e familiares.

Se não foi fraude, não foi falha.

Conclusão

Enfim, alimentação saudável, quando envolve a atenção individual, quanto à biologia e cultura, não apenas em relação ao que comer, mas onde, com quem, quando, como e quanto comer.

Uma existência autoconsciente e produtiva requer qualidade de nutrição tanto corporal quanto consciencial.

A mentalidade faz toda a diferença…

 

Antonio Pitaguari

“Nutrir-se é uma necessidade, mas nutrir-se com inteligência é uma arte”
François de la Rochefoucauld