Você permanece muito tempo sentado? Sabia que por esse motivo você pode estar morrendo mais cedo?

Neste post estamos te trazendo o resumo de uma pesquisa que todas as pessoas que ficam muito tempo sentadas precisam conhecer.

O artigo de 2013, publicado na conceituada revista científica PLoS ONE, tem o título Tempo Sentado Diário e Mortalidade por Todas as Causas.

Esta pesquisa foi desenvolvida por 8 autores de 5 instituições renomadas* de 4 países diferentes. Trata-se de um estudo da mais alta evidência, uma meta-análise, na qual buscou-se quantificar a associação entre os riscos: tempo sentado diariamente e mortalidade por todas as causas, além de examinar as relações de dose-resposta, com e sem ajuste, para a prática de atividade física moderada a vigorosa.

Para a meta-análise foram considerados estudos publicados de 1989 a janeiro de 2013, identificados através de buscas de múltiplas bases de dados (Medline, Pubmed, Embase, e Web of Science), listas de referências de revisões sistemáticas, e de bases de dados da literatura pessoal dos autores.

Foram incluídos estudos prospectivos de coorte que tiveram o tempo sentado diariamente registrados como uma variável de exposição quantitativa, todas as causas de mortalidade como o resultado e as estimativas relatadas de risco relativo, ou odds ratios ou hazard ratios com intervalo de confiança de 95%.

Foram incluídos seis estudos, todos de boa qualidade, envolvendo dados de 595.086 adultos, 29.162 óbitos em mais de 3.565.569 de seguimentos no período.

As associações entre o tempo total diário sentado e a mortalidade por todas as causas foram não lineares. No geral, cada hora diária na postura sentada foi associada a um aumento de 2% no risco de mortalidade por todas as causas, depois de considerar os efeitos protetores da atividade física. O risco parece aumentar significativamente quando os adultos se sentam por mais de 7 h/dia; em 5% para cada incremento de 1 hora no tempo sentado diariamente.

A fração populacional atribuível de risco para mortalidade devido ao tempo diário sentado foi de 5,9%, após o ajuste para a atividade física. Estimou-se ainda um risco de mortalidade 34% maior para adultos que ficam sentados 10 h/dia, depois de levar em conta a atividade física e 52% para aqueles que não se exercitam. Sugerindo que a atividade física atenua essa associação deletéria, principalmente naqueles que ficam muito tempo sentado.

Os autores concluem que maiores quantidades de tempo sentado por dia estão associadas a maior risco de mortalidade mesmo depois de considerar a atividade física. Essas descobertas fornecem ponto de partida para a identificação de um limiar no qual basear as recomendações clínicas e de saúde pública para tempo sentado diariamente.

 

Anália R. Lopes

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Pós-graduação Lato Sensu: UEL, UNIOESTE e UNIAMÉRICA

Especialista em Fisioterapia do Trabalho (certificada pela ABRAFIT)

Mestre em Ciências da Reabilitação (UEL)

Doutoranda em Saúde Pública (EERP-USP)

Professora Universitária

Experiência em Saúde do Trabalhador e Ergonomia

Perita Judicial em Ergonomia e DORT

Contato: analialopes80@gmail.com

 

Nota

* School of Public Health, University of Sydney, Sydney, Australia, (Prevention Research Collaboration); 2) University College London, London, United Kingdom, (Physical Activity Research Group, Department of Epidemiology and Public Health); 3) School of Human Movement Studies, University of Queensland, Brisbane, Australia, (Centre for Research on Exercise, Physical Activity and Health); 4) National Cancer Institute, Bethesda, Maryland, United States of America, (Nutritional Epidemiology Branch, Division of Cancer Epidemiology and Genetics) e 5) VU University Medical Center, EMGO Institute for Health and Care Research, Amsterdam, The Netherlands (Department of Public and Occupational Health).

Referência

Chau, J. Y.; Grunseit, A. C.; Chey, T.; et al. Daily Sitting Time and All-Cause Mortality: A Meta-Analysis. PLoS ONE, v.  8, n. 11, p. e80000, 2013.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *