Síntese do Paradigma Metabólico

Hoje apresentamos uma síntese de cada um dos 12 tipos do Paradigma Metabólico.

Paradigma Metabólico

Em primeiro lugar, o sistema nervoso autônomo é a base para a classificação dos tipos metabólicos. Em seguida, devemos lembrar que os 12 tipos metabólicos encontram-se organizados em três grandes grupos.

Veja aqui a representação esquemática do Paradigma Metabólico:

 

Grupos do Paradigma Metabólico

Como podemos ver no esquema, o Paradigma Metabólico é composto por:

  1. Grupo A, quem tem predomínio do simpático,
  2. Grupo B, predomínio do parassimpático e
  3. Grupo C, equilíbrio simpático-parassimpático.

Cada grupo tem quatro tipos metabólicos. Quanto mais para a esquerda, maior o domínio do simpático e quanto mais para a direita, maior o domínio do parassimpático. Quanto mais para cima, maior a eficiência do metabolismo e quanto mais para baixo, menor a eficiência do metabolismo.

I. Grupo A, predomínio do simpático:

Tipo 1. Grupo com mais facilidade para o vegetarianismo estrito. Essas pessoas não costumam ter necessidade de nenhum produto animal. Podem viver inteiramente e confortavelmente com vegetais, por exemplo couve, acelga, nozes, frutas, etc. A carne os fazem sentir sono ou grogue.

Tipo 4. Grupo vegetariano não estrito, algo entre o vegetariano rigoroso e a dieta equilibrada. Em geral, precisa de 100 gramas por dia de proteína animal, além de frutas, vegetais e nozes. Proteínas boas também incluem ovos, laticínios, feijões e peixes.

Tipo 6. Grupo que sugere uma combinação dos tipos 1 e 4, contudo tem o metabolismo mais fraco. Essas pessoas precisam de mais alimentos para compensar a falta de absorção, em torno de 30% mais, já que os nutrientes também não são bem absorvidos.

Tipo 11. Nesse grupo temos os metabolizadores simpáticos mais eficientes. Essas pessoas precisam de pouco alimento e preferem frutas e doces em relação a outros alimentos. Costumam ter muita energia.

II. Grupo B predomínio do parassimpático

Tipo 2. Grupo que apresenta a necessidade de alimento a base de carne, em geral todo dia e de preferência carne vermelha. Essas pessoas têm pouca energia e por isso a carne é importante. Vegetais não verdes, como couve-flor, cogumelos e repolho são particularmente bons para esse grupo.

Tipo 5. Esse grupo também precisa de carne para se sentir bem, mas de modo menos frequente, talvez duas a três vezes por semana. Essas pessoas se encontram entre o carnívoro extremo e a pessoa que se dá bem com uma dieta mais equilibrada.

Tipo 7. Esse grupo apresenta um cruzamento entre os tipos 2 e 5, mas com um metabolismo mais fraco. Precisam de maior volume de alimentos, incluindo enzimas e ácido clorídrico.

Tipo 12. Esse grupo pode ser visto como metabolizador eficiente. As pessoas desse grupo costumam ser felizes e alegres; ativas, criativas e saudáveis. Para eles, a carne ajuda a funcionar melhor. Os vegetais de raízes lhes dão energia a longo prazo. Não precisam comer muito à medida que digerem e metabolizam bem seus alimentos.

III. Grupo C, aquele com equilíbrio simpático-parassimpático

Tipo 3. Grupo de metabolizadores pobres, absorvem apenas 10 a 15% dos alimentos ingeridos. Essas pessoas costumam passar mal devido a falta de energia. Em geral, precisam maior quantidade de alimentos para obter nutrição suficiente. Para eles, enzimas e ácido clorídrico podem ser muito úteis.

Tipo 8. Grupo com metabolismo normal equilibrado. Podem comer e se beneficiar de todos os alimentos saudáveis.

Tipo 9. Esse grupo não se dá bem com comida crua. As pessoas desse grupo pode precisar de 70 a 80% de alimentos cozidos para se sentir melhor.

Tipo 10. Grupo formado por metabolizadores supereficientes. Essas pessoas podem comer bem menos do que as outras pessoas e, ainda assim, se sentirem satisfeitas e amáveis. Também precisam dormir pouco.

Se você se interessou e quer conhecer melhor o paradigma metabólico, assine nossa lista aqui para receber atualizações sobre o Programa Saúde de Dentro para Fora: Conheça seu tipo metabólico e saiba como suprir as necessidades nutricionais e suplementares.

Literatura consultada

GONZALEZ, Nicholas. Nutrition and the Autonomic Nervous System: The scientific foundations of the Gonzalez protocol. New York, USA: New Spring Press (Kindle Edition), 2017.

KELLEY, William Donald. Self Test for the Different Metabolic Types: and metabolic typing, the correct nutrition for your body. The original Metabolic Medicine´s Health Guide. Do-it-yourself book. Litchfield Park, Arizona, USA: College Heath Stores by Kettle Moraine Publishing, 2013.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *