Falta de Esforço pode criar Deficiência

“Aleijado para sempre”

De Climbing Manward, 1924

Por Frank Howbert Cheley (1889-1941)

Tradução de Marta Monteiro Silva, de Porto, Portugal

Uma vez eu afligi uma criatura companheira para toda a vida! Inocentemente, claro, mas ainda assim com eficácia. Ele era, também, um companheiro maravilhosamente atraente, com suas roupas esplendorosas, e teria feito um grande rebuliço em seu próprio mundo, se eu não tivesse interferido. Como sucedeu, ele acabou por se tornar um aleijado indefeso e morreu em poucas horas. Mas talvez alguma coisa boa, afinal, surgiu deste incidente, por me ter posto a pensar. Não consegui tirar isto da minha cabeça por dias. Quero te falar sobre isto.

Sucedeu assim. Durante meses, alimentei com cuidado o que a princípio era um pequeno saltitão listrado (uma das etapas na formação de uma borboleta). Que apetite tinha ele! Ele cresceu exatamente como acontece nos contos de fadas, até que por fim se transformou numa magnífica lagarta adulta. E então, depois de prender a sua parte traseira no cimo da sua pequena gaiola de vidro, ele deliberadamente mastigou o seu terno preto e amarelo e se transformou numa encantadora crisálida verde e dourada.

Dia após dia, assisti aquele lindo bangalô à procura de alguns sinais de vida. Quão curioso eu estava acerca de que tipo de criatura iria sair dali! Um dia eu notei a pequena crisálida se abanando. Finalmente se rasgou, apenas um pouquinho para ter certeza, mas todo eu era excitação, pois estava certo que a minha borboleta se tornaria um companheiro tão grande, forte e bonito que iria facilmente quebrar com grande abertura a sua prisão de inverno e emergir para a minha inspeção. Observei expectante. Como o coitado lutou enquanto tentava sair através daquela pequena fenda! Mas por alguma razão parecia ter pouco ou nenhum progresso. Finalmente, com a minha impaciência aumentando e pensando ser gentil, eu rasguei cuidadosamente essa crisálida e ajudei, tal como pensava, aquele inseto lutador a ter um começo fácil na vida.

Por fim, caiu na minha mão uma coisa amassada e subdesenvolvida, suas lindas asas rabo-de-andorinha esmagadas, como um pouco de seda suave pode ser esmagada por um dedal. Gentilmente, deitei a coisa desamparada e trêmula à luz do sol brilhante, e esperei e esperei que ela abrisse suas asas e voasse para longe. Mas não o fez. De facto, não fez esforço algum para abri-las. Aos poucos, se moveu um pouco como se estivesse procurando comida ou néctar de uma flor, apenas para ficar imóvel novamente.

Quão desapontado eu estava! Todos aqueles dias de alimentação cuidadosa e preocupação foram para nada.

Desgostoso, fui ter com um amigo cientista e contei-lhe o que tinha acontecido. Ele escutou solenemente e então, com sua mão no meu ombro, ele me disse: “Você aleijou o coitado para sempre. Nunca voará entre as flores ou subirá até à luz do sol brilhante. Você tornou isso impossível”. Depois ele explicou a um garoto muito surpreso e mortificado que só por longas horas de grande esforço é possível para uma borboleta emergente ganhar força e mobilizar suficiente circulação até expandir suas asas para que consiga voar. Ao facilitar a vida para aquele inseto no início, arruinei todo o seu futuro.

“Esforço” é uma palavra maravilhosa. Todas as coisas boas que temos no mundo hoje são o resultado do esforço. Se os homens em todos os lugares parassem de lutar, num espaço de tempo surpreendentemente curto, a civilização voltaria à barbárie. Os melhores frutos sempre crescem mais alto, e para chegar a eles é preciso trepar. Se alguém tiver um corpo forte, precisa se esforçar fisicamente para isso. Todos os nossos jogos de equipa são apenas um esforço organizado e como nos deleitamos neles. Se alguém tiver uma mente forte, precisa se esforçar por anos e anos de aplicação mental. Se alguém for bom, deve sempre lutar contra o mal. Todo o desenvolvimento é uma luta para a frente. Edison diz que o gênio é noventa e nove por cento de esforço para um por cento de talento. Luther Burbank afirma que o esforço é a chave misteriosa para o sucesso.

Pegue a biografia de qualquer um dos nossos grandes homens das artes, da ciência, da política, da invenção – em qualquer campo – e você não pode deixar de ficar impressionado com a grande parcela que o esforço desempenhou nas suas vidas.

Leia esse maravilhoso conto de Scott em seu arranque para o Polo Sul. Leia a história de Theodore Roosevelt, aquele menino doente e franzino que foi colocado num rancho ocidental para recuperar a saúde e vigor e valor para o mundo. Depois sente-se e pergunte a você mesmo: “Tenho eu aquele tipo de ‘fagulha’ em mim, ou sou um daqueles rapazes desafortunados que tem tudo no mundo feito para si, desde ter as suas roupas apanhadas depois de ser ajudado com cada dificuldade que atravessa no seu caminho?”

Alguém nos disse que “Quando vossas casas eram feitas de palha, os homens eram feitos de carvalho, mas quando as casas eram feitas de carvalho, os homens eram feitos de palha.”

De que tipo é você?

Nestes dias de maravilhosas conveniências, estamos nós a permitir que a vida se torne tão fácil e confortável e suave que todo esse magnífico pioneirismo, que fizeram a América grandiosa entre as nações, se perca? Em vez de homens, é possível que nos estejamos a tornar mariquinhas, mais interessados na nossa imagem do que naquilo que somos e conseguimos fazer? Toma cuidado se a vida é demasiado fácil, se não existe problemas, nem fardos, nem cargas. Degeneração gordurosa é perigosa!

O esforço é o volante que faz a vida correr sem problemas!

O esforço é o governante que torna possível usar a potência do motor!

Apenas valem as coisas pelas quais se luta!

Quem deseja entrar num jogo quando não existe oponentes?

Quem se importaria em escalar montanhas, se fossem todas para baixo em vez de subir? São as horas de tremendo esforço que abrilhantam a vista do topo.

Treine-se para o esforço. Vá gradualmente. Encare um dia de cada vez – mas leve-o até ao fim. Um homem que tenha sido extraordinariamente bem sucedido no desenvolvimento de equipes de cavalos para mover cargas quase inacreditáveis, ele começa com eles sendo potros, engatando-os primeiro a um trenó de pedra vazio e depois adicionando pedra após pedra até que eles consigam puxar com facilidade uma carga que a maior parte de outras equipes não conseguiria mover além de suas faixas.

Esforce-se um pouco todos os dias com alguma coisa! Não busque o caminho duvidoso onde tudo são rosas. A força é conquistada pela luta. O osso da sorte é um substituto pobre para força de caráter.

Cuidado com o amigo que deseja carregar toda a carga por você – ele é o “infortúnio” disfarçado.

Apoie-se em seus próprios pés.

Lute à sua maneira.

Não peça favores a ninguém.

Ganhe porque você se treinou para ganhar – por sempre se esforçar em fazer a sua parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *