Enema de café

Olá,

Todos sabemos que a alimentação cada vez mais processada e artificial acumula muitas toxinas no corpo humano. Nesse sentido, Então, hoje vamos abordar um dos principais tratamentos alternativos de desintoxicação.

Enemas

Enemas, também conhecidos como enteroclisma, clister ou chuca, são um dos mais antigos tratamentos médicos conhecidos pelo homem. O texto médico mais antigo, o papiro egípcio Ebers, registra o uso de enemas. Enemas foram utilizados em todo o mundo antigo em Samaria, Babilônia, Índia, Grécia, África e China. A literatura grega é preenchida com referências ao uso terapêutico de enemas para ajudar o corpo.

Enemas de café

Enemas de café também são utilizados há muito tempo não só para ajudar o intestino mas também o fígado, o principal órgão de desintoxicação do corpo. Durante boa parte do Século XX, o enema de café chegou a constar do Manual da Merck de Medicina (Merck Manual of Diagnosis and Medicine), até a décima segunda edição de 1972.

O enema de café foi muito estudado na época da primeira guerra mundial.

Protocolos de medicina alternativa funcionais como o do Kelley, que estudamos aqui na Autonomia em Saúde, e também na terapia Gerson, os enemas são fundamentais para a desintoxicação do organismo.

A primeira figura mostra Kelley orientando a aplicação de enemas de café e a segunda mostra o livro de Charlotte Gerson sobre a terapia proposta por seu pai, Max Gerson.

Kelley e o enema de café

O livro de Charlotte Gerson

Mas o que é o enema de café?

O enema de café é a introdução de uma solução de café no intestino através de uma sonda retal que ajuda na desintoxicação, limpeza de matérias fecais e até problemas de constipação. Os componentes do café, como a cafeína, do intestino chegam até o fígado que ativa os dutos biliares, liberando as toxinas acumuladas.

Enemas de café:
Introdução de café no intestino p
ara desintoxicação e limpeza do metabolismo.
N
o fígado abre os dutos biliares e libera toxinas acumuladas.

Benefícios do enema de café:

1. Desintoxicação do intestino

Remove sujeiras e toxinas intestinais, facilitando o peristaltismo saudável em todo o trato digestivo.

2. Redução da toxicidade do organismo

Estimula a produção da enzima glutationa S-transferase no fígado que reage com os radicais livres, além de contribuir para a produção da bile que dissolve e elimina substâncias tóxicas e inertes através do trato intestinal.

3. Aumenta o fluxo biliar

O aumento do fluxo biliar alcaliniza o intestino e melhora a digestão. A bile facilita a absorção das gorduras para que sejam melhor absorvidas pelo corpo. Especialmente indicado para quem tem pele e olhos amarelados, dor abdominal e inchaço, cor de urina escura, todos sinais de um fígado extenuado.

4. Melhora a saúde mental e o humor

A desintoxicação da corrente sanguínea amplia a transferência de oxigênio por todas as células do corpo para o sistema nervoso central, onde atua como um estimulante. O efeito mais notável é aumentar o estado de alerta, fazendo a pessoa se sentir mais acordada e menos cansada.

5. Alivia a constipação

O enema proporciona alívio da constipação, estimula o fluxo do intestino e ajuda a liberar fezes endurecidas, toxinas e resíduos que causam desconforto intestinal.

6. Combate ao câncer

O enema foi uma das estratégias fundamentais de Kelley, propositor do Paradigma Metabólico, para combater seu câncer de pâncreas. Vale rever o post anterior sobre o William Kelley que explica como os enemas de café ajudaram na dexintoxicação das células de câncer à medida que iam sendo combatidas e mortas.

Como fazer enema de café?

Em primeiro lugar, você precisa estudar o que é o enema de café. Se é um tema novo para você, consulte algum terapeuta ou alguém que já fez para ter orientações um pouco mais especializadas.

1. Equipamento para aplicação 

Você precisa adquirir o equipamento para aplicação do enema. Um pequeno recipiente ou balde, um tubo que possa abrir e fechar a passagem do líquido, sonda retal e óleo de coco ou vaselina.

Esse material pode ser encontrado em uma casa de equipamentos de saúde.

2. Preparação

Ferva 1,5 litro de água filtrada. Acrescente de 3 a 6 colheres de sopa de café preferencialmente orgânico. Deixe cozinhar por 15 minutos em fogo baixo. Filtre o café e espere esfriar até uma temperatura de 40 graus. Insira o café no balde do enema.

3. Ambiente e posição

Prepare um local agradável e monte uma base para sustentar o balde em uma altura de mais ou menos 1,50 cm.

Deite sobre o lado direito e aplique de um a 1,2 litro de café no intestino.

4. Tempo

Procure manter o líquido no intestino entre 12 a 15 minutos. Se não conseguir todo esse tempo, não tem problema. É normal nas primeiras vezes a pessoa ter dificuldade com esse tempo. Não desanime.

Depois desse tempo vá ao banheiro e evacue.

5. Frequência de aplicações

Você deve repetir o enema de café sempre que necessário.

Para quem está começando, um enema por dia durante uma semana talvez seja um bom começo para ver como funciona.

Na Terapia Gerson, voltada ao tratamento de câncer são indicados 4 ou 5 enemas por dia. Ou seja, a frequência depende das necessidades individuais.

Paradigma Metabólico

No paradigma metabólico, o enema de café é um recurso importante que deve ser explorado para ajudar na desintoxicação.

É isso aí caro leitor, se você tem interesse nesse conteúdo e quer conhecer mais sobre o Programa Saúde de Dentro para Fora, que pode te ajudar, através do Paradigma dos Tipos Metabólicos, com um questionário para identificar seu tipo e subtipo metabólicos e saber como suprir suas necessidades nutricionais e suplementares, assine nossa lista para receber mais informações…

Assine nossa lista aqui

Obrigado pela atenção,

Referências

1. MCCLAIN, M.E. The patient’s needs: Enemas. Scientific Principles in Nursing. St. Louis, MO: The C.V. Mosby Company, 1950. Página 168.
2. THE MERCK MANUAL OF DIAGNOSIS AND THERAPY. Bedside procedures. 9. ed. Rahway, NJ: Merck & Co, 1956. Páginas 1747-1748.
3. KELLEY, William Donald. One Answer to Cancer: Ecological approach to the sucessful treatment of malignancy. Texas, USA: The Kelley Foundation, 1974.
4. KELLEY, William Donald. Self Test for the Different Metabolic Types: and metabolic typing, the correct nutrition for your body. The original Metabolic Medicine´s Health Guide. Do-it-yourself book. Litchfield Park, Arizona, USA: College Heath Stores by Kettle Moraine Publishing, 2013.
5. GONZALEZ, Nicholas. Nutrition and the Autonomic Nervous System: The scientific foundations of the Gonzalez protocol. New York, USA: New Spring Press (Kindle Edition), 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *