Considerações sobre Vegetarianismo

Hoje vamos tratar de um tema muito complexo que é vegetarianismo.

Corpo e alma

Corpo e alma, homem e natureza são faces da mesma moeda.

O corpo é a contraparte física do espírito. O mundo que nos envolve também está dentro de nós.

Somos feitos de elementos da natureza e a respiramos, comemos e bebemos.

Comer é sagrado

Comer é um ato sagrado que envolve bem mais que o sustento físico. O fato de absorver e integrar o alimento, seja vegetal ou animal, tem profundas implicações espirituais.

Vida e morte

Para ficar mais claro, precisamos pensar no real sentido da vida e da morte.

Enquanto para culturas antigas, matar e morrer fazia parte do habitat natural, a cultura atual se distanciou muito em relação a morte o que acaba nos afastando da vida. Prolongar e sustentar a vida se tornou mais importante do que viver. Muitos de nós temos medo de viver e, por isso, evitamos trabalhar com prazer e entusiasmo.

É importante entender que viver é bem mais do que apenas não morrer.

O medo de viver nos faz evitar
trabalhar com prazer e entusiasmo.
A vida é bem mais do que apenas não morrer.

Cadeia alimentar

Fui vegetariano durante 9 anos por motivos filosóficos. Não achava que era correto matar animais para comer. O prof Waldo Vieira me mostrou a importância de estudar e entender a cadeia alimentar.

Na cadeia alimentar, organismos estabelecem a relação de alimentação no ecossistema. A natureza implica em seres vivos que interagem entre si, transferindo matéria e energia por meio de nutrição.

A biologia não admite mutilação, ou seja, se você e seu grupo familiar, bem como sua cultura, na qual está inserido se desenvolveram comendo carne, mudar a alimentação com o jogo andando pode não ser correto e fazer bem.

A importância da cadeia alimentar.
A biologia não admite mutilação.

Indústria do alimento

A indústria da carne está muito longe de ser saudável. A crueldade e a baixa sustentabilidade do processo, o confinamento e tratamento dos animais com antibióticos, hormônios, vacinas e ração antinatural que comprometem seriamente a saúde dos animais.

Também a indústria dos grãos e vegetais tem sérios problemas. A monocultura, a modificação genética, fertilizantes e biocidas químicos também comprometem seriamente a qualidade dos produtos.

Indústria da carne e dos grãos e vegetais,
ambas se encontram comprometidas.
É preciso evitar produtos e aprender a selecionar alimentos.

Paradigma dos tipos metabólicos

William Kelley, o propositor do Paradigma dos Tipos Metabólicos, sugere, não por motivos filosóficos, mas metabólicos, desde o vegetarianismo até a dieta cetogênica dependendo do equilíbrio entre sistema nervoso autônomo simpático e parassimpático.

O ideal é selecionar o tipo
de alimentação segundo o tipo metabólico

Dieta saudável

Mas, mesmo o Kelley, cujo metabolismo exigia uma alimentação vegetariana, se alimentava regularmente de ovos, manteiga e laticínios. Outro pesquisador, Weston Price, mostra que não existem povos inteiramente vegetarianos e que a dieta mais saudável é composta por alimentos vegetais e animais.

A dieta mais saudável é composta pela
conjugação de alimentos vegetais e animais.

O corpo precisa, além dos carboidratos, também de gordura e proteína. É impraticável atender tais necessidades com apenas vegetais. Talvez até fosse possível, mas exigiria muito tempo, pesquisa e recursos para não criar defasagens nutricionais e suplementares.

Densidade nutricional

Em termos de densidade nutricional, o alimento de origem animal contém energia mais concentrada, mais potente.

Costuma-se dizer que enquanto o alimento do origem animal constitui as bases nutricionais de uma boa saúde, o alimento vegetal seria melhor caracterizado pela limpeza e desintoxicação do sistema orgânico.

Densidade nutricional:
O alimento de origem animal
tem energia mais concentrada, mais potente.

Em geral, a saúde de muitos tipos metabólicos precisa de alimentos com alta densidade nutricional de origem animal.

Atenção as necessidades nutricionais individuais

Não atender as necessidades de energia densa pode resultar em degeneração física. Efeitos podem incluir diversas doenças crônicas como síndrome da fadiga crônica, baixo nível de energia, hipoglicemia, baixa libido, anemia, esclerose multipla (MS), infecções, asma, gripes recorrentes, entre outras.

Ignorar as necessidades nutricionais
resulta em degeneração física, em doenças crônicas

Vegetarianismo saudável

É claro que existe o vegetarianismo saudável, nesse caso, as pessoas são bem nutridas espiritualmente, seguras e generosas, autônomas e assistenciais.

Uma característica do vegetariano verdadeiramente saudável é que não se mostra orgulhoso ou extrai autoestima de sua dieta.

Não se sente estimulado a divulgar excessivamente sua dieta, pois entende de modo geral as necessidades das pessoas não são iguais. Não seria correto influenciar pessoas que necessitam de alimentação mais densa.

São pessoas radiantes e que subsistem em um nível mais sutil, menos denso de manifestação. Em situações especiais, essas pessoas podem viver quase sem alimentos.

Por outro lado, quem tem um vida ativa, faz muita coisa e trabalha com outras pessoas atender as necessidades de energia nutricional densa é fundamental.

Existe vegetarianismo saudável.
Não se vangloriam de sua dieta.
Nível mais sutil de manifestação.

 

Quem tem vida ativa, faz muita coisa
e trabalha com outras pessoas,
A energia nutricional densa é fundamental.

 

Transcendência prematura

Tem um conceito interessante de Charles Eisenstein que relaciona o vegetarianismo com uma transcendência prematura, ou seja, a pessoa que busca transcender esta dimensão sem primeiro se tornar verdadeiramente humano. Seria tipo a pessoa que busca um nível de sutileza para o qual ainda não estaria pronto.

Sabe o que é transcendência prematura?
Pessoa que busca transcender esta dimensão
sem primeiro se tornar verdadeiramente humano.

Seu caso pessoal

Em relação a você, qual seu tipo metabólico e que tipo de alimentação e suplementação atende melhor as suas necessidades?

Apenas você pode saber suas necessidades pessoais caso preste atenção ao seu corpo e tenha confiança em si mesmo.

Considerações finais

Para fechar, este é um dos temas mais controversos de que se pode tratar em termos de nutrição.

Prezamos acima de tudo que cada um deve assumir a responsabilidade legal por quaisquer decisões que toma em relação aos seus cuidados de saúde.

Não estamos aqui fazendo nenhum tipo de orientação. O que oferecemos neste blog são informações e não aconselhamento médico. Autonomia em saúde é pensar claramente por si mesmo e tomar as próprias decisões.

Sempre que considerar necessário consulte um profissional de saúde licenciado. O que todos nós precisamos são mais pessoas capazes de tomar decisões conscientes e informadas a respeito do que é melhor para si mesmo.

Saúde de Dentro para Fora

É isso aí caro leitor, se você tem interesse nesse conteúdo e quer conhecer mais sobre o Programa Saúde de Dentro para Fora, que pode te ajudar, através do Paradigma dos Tipos Metabólicos, com um questionário para identificar seu tipo e subtipo metabólicos e saber como suprir suas necessidades nutricionais e suplementares, assine nossa lista para receber mais informações…

Assine nossa lista aqui

Obrigado pela atenção,

Sugestões para aprofundamento do conteúdo

1. GONZALEZ, Nicholas. Nutrition and the Autonomic Nervous System: The scientific foundations of the Gonzalez protocol. New York, USA: New Spring Press (Kindle Edition), 2017. Veja aqui.

2. Dilema do Onívoro de Michael Pollan (veja o debate com o Peter Singer, autor de libertação animal e um dos fervoroso defensor vegetarianismo. Veja aqui.

3. Vegetarian myth de Lierre Keith. Veja aqui.

4. O site Beyond vegetarianism (<http://www.beyondveg.com/>).

5. The Weston A Price Foundation (<https://www.westonaprice.org/>).

6. Dr. Natasha Campbell-McBride, GAPS diet (<http://www.gapsdiet.com/>).

7. Ebook de Joseph Mercola: Think Twice Before Going on a Vegetarian Diet If You’re Like 66% of People – This Mistake Can Destroy Your Health (<http://mercola.fileburst.com/PDF/SpecialReports/Think-Twice-Before-Going-Vegetarian.pdf>).

8. The plant paradox: the hidden dangers in “Health” foods that cause disease and weight gain de Steven Gundry. Ver aqui.

9. Chris Masterjohn, PhD. Veja que interessante o debate: Não coma nada que tenha uma face…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *