Como Ter Quantidade e Qualidade de Vida?

Prezado leitor,

Corpo-humano

A Máquina Corpo Humano

Recentemente descobri essa pérola e resolvi compartilhar com você. Trata da importância de se pensar o corpo como um processo sistêmico. Não tem lógica um órgão se deteriorar muito antes dos outros. Por exemplo, a pessoa na meia-idade, em boas condições que tem um enfarto ou um AVC. Como evitar fragilidades ou sobrecargas?

A consciência se manifesta em um sistema. Como tal, todos os órgãos deveriam ter funcionalidade equivalente, garantindo o bom desempenho para se poder alcançar o objetivo almejado. Assim, no fim da missão da vida, no momento certo, o corpo se desativa quando a maioria se não todos os órgãos falham. Não parece justo? E assim não ocorre com muitos entre nós?

 Old_One_Horse_Shay

A Maravilhosa Carruagem de Um Cavalo

Nos idos do Século XIX, o médico e escritor Oliver Wendell Holmes (1809-1894) escreveu o animado poema “A Maravilhosa Carruagem de Um Cavalo” (The Wonderful One-Hoss Shay).

O poema fala de um diácono que construiu o cabriolé perfeito, a carruagem de duas rodas puxada por um cavalo, para durar 100 anos. Ele fez uso dos melhores materiais e mão de obra. Estudou em minúcias as pontos fracos e fez cada parte tão forte quanto qualquer outro componente do cabriolé.

Na história, de fato, o cabriolé durou todo um século. Até que literalmente se desfez, praticamente de uma vez. Não havia um único problema, quando, ao fazer 100 anos, o cabriolé simplesmente dissolveu-se por completo.

 

Retangularização do Tempo de Vida

Em tese, cada um de nós começa a vida com potencial parecido com o do cabriolé, a obra-prima do diácono. Um corpo capaz de funcionar sem problemas, em boas condições até finalmente morrer com 90, 100 ou 110 anos de idade.

De modo prosaico, podemos chamar de “retangularização do tempo de vida” o processo de nascer, amadurecer para a vida adulta, ficar velho e, em seguida, sem tomar conhecimento da multiplicidade de doenças crônicas, morrer em uma idade avançada.

Veja o gráfico:

Saúde,Qualidade de Vida (1)A linha azul representa a vida no século 19, com as pessoas desenvolvendo doenças crônicas em seus 40 anos. Muitos morriam aos 60 e 70 anos. Por outro lado, a linha vermelha, associada ao final do século 20, mostra uma realidade melhor. Conseguimos reduzir mortes na infância e adiar o desenvolvimento de doenças crônicas (problemas cardíacos, pulmonares, diabetes e câncer). Vivemos mais tempo. A linha pontilhada que completa o retângulo sugere a possibilidade de “retangularizar” nossa curva de sobrevivência.

 

A Preparação para a Morte

Depois de muitos anos de boa saúde (como o cabriolé de um cavalo), a vida se extingue. Em algum dia distante, em um confortável leito…

death

 

  Morte:  Construção  Vital

Ao nascer, choramos,

no mundo em que entramos,

tudo é estranho e completamente novo,

sede e fome precisam ser superados.

Infinitos desafios…

  A vida se traduz em experiências,

segredos profundos,

universo em movimento,

realidade social.

Intimidade autoconsciente…

  Já na morte, destino de cada vida

e de todo ciclo completude,

dor ensina finitude.

Então, sem obstáculo, satisfação.

Enfim, morte e contentamento…

 

Conhecidos Centenários Brasileiros

Além do mindset de superar limitações, a prevenção da doença crônica de fim de vida, com base em uma vida útil e produtiva é a melhor maneira de retangularizar nossa curva de sobrevivência.

Entre muitos outros, eis aqui quatro conhecidos centenários brasileiros que a seu modo foram capazes de retangularizar suas vidas:

  1. Claudionor Viana Teles Velloso (Dona Canô; 1907-2012). Mãe de oito filhos, entre eles os músicos Caetano Veloso e Maria Bethânia, morreu aos 105 anos, no dia de Natal de 2012, em casa.

Dona_CanôDercy Gonçalves (1907-2008). Reconhecida pelo Guinness Book como a atriz com maior tempo de carreira no mundo, ela morreu em 2008, aos 101 anos.

Dercy-goncalvesEugenio Gudin (1886-1986). Economista brasileiro, foi ministro da Fazenda entre 1954 e 1955, durante o governo de Café Filho. Morreu em 1986, anos 100 anos.

Eugenio_GudinOscar Niemeyer (1907-2012). Figura chave da arquitetura moderna brasileira, morreu a 10 dias de completar 105 anos. Lúcido, trabalhou até o fim da vida.

Oscar_Niemeyer

 

Principais Doenças Crônicas

Estar em forma na meia-idade, oferece ao sujeito uma grande vantagem no processo do envelhecimento. A probabilidade de desenvolver uma das quatro grandes doenças crônicas é inferior a metade da do resto da população.

Existem quatro principais doenças crônicas responsáveis pelo encurtamento da vida e evitáveis a partir de mudanças de estilo de vida.

  1. Diabetes
  2. Doenças cardiovasculares
  3. Acidente vascular cerebral
  4. Doença respiratórias

smile

Orientações Finais

A maioria dos leitores, que acompanham o Blog Autonomia em Saúde, conhece as regras básicas: manter peso saudável, comer uma dieta de alimento de verdade, manter-se ativo, trabalhar o mindset pessoal, o ambiente e a comunidade onde vive.

As pessoas em boa forma física são capazes de retangularizar a curva de sobrevivência. A melhor aposta é começar agora. É importante rever o orçamento e investir em alimentos nutritivos, se inscrever em uma academia, comprar equipamentos de ginástica e contratar personal trainer.

Assim, você, ao modo da obra-prima do “cabriolé de um cavalo”, pode continuar construindo sua autonomia em saúde, importante para qualidade e quantidade de vida, mantendo-se feliz e produtivo.

Acompanhe o Blog Autonomia em Saúde para outras dicas.

Valeu,

Antonio Pitaguari

Cross silhouette and the holy blue sky

Fonte

EDELBERG, David. You, The Wonderful One-Hoss Shay. Disponível em:
<http://wholehealthchicago.com/2012/10/15/5151/>. Acesso em: 22.06.2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *